rei do pano
Especial | ARTIGOS COLUNISTAS

Saúde

Dia mundial da Prematuridade

A campanha também visa informar as futuras mamães e conscientizá-las na prevenção da prematuridade

Dia 17 de novembro foi escolhido para ser o Dia Internacional de Sensibilização para a Prematuridade. Data escolhida em 2008 porque um dos fundadores da  EFCNI (European Foundation for the Care of Preterm Infants) perdeu  seus trigêmeos prematuros, em dezembro de 2006, e ele tornou-se pai de uma filha nascida em 17 de novembro de 2008.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), os nascimentos prematuros são responsáveis por quase metade das mortes de recém-nascidos no mundo. No Brasil, 11,7% do total de nascimentos acontecem antes de 37 semanas de gestação, sendo considerados prematuros.

Por isso, foi criando o Dia Mundial da Prematuridade, para  alertar sobre o crescente número de partos prematuros e poder  passar o máximo de informação acerca das consequências para as crianças, e os evidenciar os cuidados especiais exigidos para com o prematuro.

A campanha também visa informar as futuras mamães e conscientizá-las na prevenção da prematuridade, visto que essas crianças, quando crescem, têm maior risco para problemas de aprendizagem e comportamentais, paralisia cerebral, deficiências sensoriais e motoras, infecções respiratórias crônicas, doenças cardiovasculares e diabetes, em comparação com bebês nascidos de uma gestação com tempo normal.

Apesar destes riscos, os que nascem prematuros, contam com o auxílio da tecnologia. Hoje, com ela, é possível prestarmos atendimento para bebês que nascem a partir de 300 gramas. E essa tecnologia já é usada aqui em Mato Grosso, no hospital Santa Rosa. 

Outro ponto, que favorece que este bebê sobreviva, é a conscientização que, com o atendimento humanizado e capacitado dessas crianças em sua fase de formação em que permanecem na UTI,  é estritamente necessário a participação da mãe.

Este dia serve também para refletirmos sobre a prevenção fazendo um acompanhamento pré-natal por um médico ginecologista obstetra, evitando excessos e seguindo todas as recomendações necessárias para uma gestação saudável. Afinal, é uma vida nova sendo gerada que precisa amadurecer para nascer no tempo certo.

Dra. Paula Gattass Bumlai é pediatra neonatologista responsável pela UTI Neonatal do Hospital Santa Rosa

Por: Paula Gattass Bumlai