oral sin
Especial | VARIEDADES

Mauro Mendes é candidato e logo terá plano de governo

Segundo Pivetta, um plano de governo denominado “Mato Grosso que Queremos” já estaria em elaboração

(Foto: Marcus Vaillant)

O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), garantiu que o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), é candidato na disputa pelo governo do Estado nas eleições deste ano. Inclusive, segundo Pivetta, um plano de governo denominado “Mato Grosso que Queremos” já estaria em elaboração.

Pivetta já se colocou à disposição para ser o coordenador da campanha de Mendes.  Ele também foi o coordenador da campanha vitoriosa de Pedro Taques (PSDB) em 2014. Apesar da confirmação por parte do pedetista, Mendes ainda não se pronunciou oficialmente sobre a candidatura.

“Mauro Mendes é candidato. Se não fosse ele não estaria se filiando a partido, participando e liderando o movimento. Ele não é obrigado a dizer que é candidato. Na hora certa ele vai se pronunciar”, disse Pivetta, em entrevista ao Jornal do Meio Dia da TV Vila Real.

A candidatura de Mendes, segundo Pivetta, está sendo construída junto aos partidos “simpáticos” ao modelo de governança do Estado, que seria contrário ao que vem sendo feito pelo governador Pedro Taques, classificado por Pivetta como “perdulário” e “desgovernado”.

“Estou nessa pra corrigir o grande erro que cometemos há 4 anos: de eleger a pessoa errada para o Executivo de Mato Grosso. Estou relendo todo o projeto que tínhamos, para extrair dele o que foi feito e o que não foi feito. Percebi que temos que começar do zero, porque não foi feito nada", afirmou.

Ainda segundo Pivetta, em 10 dias estará pronto um plano de governo para Mato Grosso, que será colocado para análise dos partidos de oposição. Articulam uma candidatura contra Taques os partidos DEM, PP, Pros, PSD, PDT, PRB, PCdo B, PTB e PHS. Além de Mendes, são aventados os nomes do senador Wellington Fagundes (PR) e do ex-senador Jayme Campos (DEM) como possíveis candidatos.

“Esse projeto vai ser discutido no cenário entre os partidos que se propõem a ser oposição. A oposição, no momento certo, vai convergir para um ponto comum e daí vai sair a aprovação do projeto Mato Grosso que Queremos”, assegurou.

Questionado sobre a possibilidade de ser o vice de Mendes, cenário aventado nos bastidores, Otaviano Pivetta afirmou que “não faz questão”, mas se colocou à disposição do partido. No entanto, ele destacou que tal decisão só será tomada após a aprovação do plano de governo. “Aí na sequência vamos começar a definir nomes. Nós temos diversos candidatos bons e eu não faço questão de ser vice. Temos bons nomes pra fazer isso. Me coloquei à disposição pra qualquer função”.

Somente com muita conversa e diálogo, segundo Pivetta, é que a construção da candidatura será feita, a fim de evitar o que ocorreu com a gestão do governador. “Taques é especialista em se vingar, ameaçar, achar que ninguém gosta dele, é um mal-amado e quer contaminar o Estado com isso. Nós temos que ter a grandeza de discutir política da maneira que tem que ser discutida”, encerrou.

 

Por: Gazeta Digital