oral sin
Especial | VARIEDADES

Julho amarelo mês de conscientização para prevenção e controle das hepatites virais

A Secretaria Municipal de Saúde por iniciativa do Departamento de Vigilância em Saúde, lança no mês de julho a campanha Julho Amarelo

(Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal de Saúde por iniciativa do Departamento de Vigilância em Saúde, lança no mês de julho a campanha Julho Amarelo – mês de conscientização para prevenção e controle das hepatites virais.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) instituiu em 2010 a data de 28 de julho como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais. Desde então, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, vem cumprindo uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.

No Brasil, enquanto a hepatite B é mais frequente na faixa etária de 20 a 49 anos, a hepatite C acomete mais pessoas entre 30 e 59 anos. A maioria dessas pessoas desconhece sua condição sorológica. No caso da hepatite C, por exemplo, há pessoas que fizeram transfusão de sangue antes de 1993 (quando não havia teste para diagnosticar a doença) ou que utilizaram seringas não esterilizadas que podem estar infectadas pelo vírus da hepatite C sem saberem.

A hepatite é a inflamação do fígado, uma doença que nem sempre apresenta sintomas. Muitas pessoas só percebem que estão doentes (principalmente dos tipos B e C) quando as manifestações já são graves, como cirrose ou câncer de fígado. Esses pacientes levam anos para descobrir que estão infectados.

O Ministério da Saúde estima que existam 1,7 milhões de brasileiros portadores do vírus da Hepatite C e 756 mil portadores do vírus da Hepatite B, sendo que muitos não sabem que os têm.

Realizar o diagnóstico precoce das hepatites é um dos principais determinantes para evitar a transmissão ou a progressão dessas doenças e suas graves consequências. Os testes rápidos para hepatite B e C estão disponíveis em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Procure sua Unidade de Saúde e faça o teste.

FIQUE ATENTO ÀS FORMAS DE TRANSMISSÃO!!!


- Relações sexuais sem preservativo; compartilhamento de drogas injetáveis, inaláveis e pipadas; instrumentos de cirurgia, tatuagens, piercing e manicure não esterilizados; compartilhamento de lâmina de barbear ou de escova de dente; transmissão da mãe portadora para o filho, principalmente no momento do parto.

VACINAÇÃO

As vacinas contra Hepatites A e B são oferecidas gratuitamente na rede Pública de Saúde. As vacinas contra Hepatite A e B fazem parte do Calendário de vacinação da criança. A vacina contra hepatite B deve ser aplicada nos recém-nascidos nas primeiras 24 horas de vida, preferencialmente. Adolescentes, Jovens e Adultos que ainda não se vacinaram contra Hepatite B devem procurar a Unidade de Saúde pertencente à sua área de abrangência e se vacinar. Todas as gestantes devem receber a vacina contra Hepatite B. A vacinação é importante porque a co-infecção com o vírus A ou B pode agravar a Hepatite C, além de ser a forma mais segura de prevenir as duas doenças, diminuindo a circulação do vírus na população. Não existe vacina disponível contra Hepatite C.

Informações:

Vigilância em Saúde

Av. Marechal Deodoro da Fonseca nº 274 – Centro

Fone: (66) 996873362

Por: Assessoria