rei do pano
Especial | VARIEDADES

16 de Agosto de 2019 ás 14:11:08

Presidente da Acic Colíder participam de Encontro das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso

Leandro Kessler pontua que a interação entre os presidentes é a troca de experiências

(Foto: Divulgação)

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Colíder (Acic), Leandro Kessler, a gerente administrativa Jessica Oliveira Gomes de Amorim e a agente de registro Certificado Digital, Thais Kellieny de Souza Ferreira, participaram nesta quarta (14.08) e quinta-feira (15), no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá, do Encontro das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso.

O evento foi promovido pela Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Mato Grosso (Facmat) para fomentar a interação entre as associações comerciais, troca de experiências e debate de novas demandas conjuntas e discussão do Planejamento Participativo produzido pelos dirigentes das entidades.

Leandro Kessler informa que a Facmat repassou aos executivos informações e esclarecimentos sobre os impactos da aprovação da lei n° 631/2019 (antigo PLC 53/2019), que aumentou a carga tributária no Estado para diversos segmentos do comércio.

A lei sancionada pelo governador Mauro Mendes removeu e anistiou alguns créditos tributários e, também, reinstituiu e revogou alguns benefícios fiscais. “Mesmo assim, o aumento de carga tributária pode chegar a 30% para o setor do comércio em Mato Grosso”, lamenta o presidente da Acic.

Sobre o encontro, o presidente da Acic afirma que foi uma oportunidade para aprender. “As discussões levantadas durante o encontro e as informações repassadas pela Facmat são importantes para nos mantermos atualizados, principalmente, sobre essa nova tributação [da lei n° 631] e outros assuntos de interesse, como o cadastro positivo. Isso vai ajudar todos nós.”, avalia Leandro Kessler.

O presidente da Acic pontua que a interação entre os presidentes das associações fomenta a troca de experiências neste momento de crise e de incertezas econômicas. “Os comerciantes estão preocupados, pois já estão enfrentando dificuldades para manter as portas abertas”, lamenta Kessler.

Por: Assessoria