rei do pano
Especial | VARIEDADES

21 de Novembro de 2019 ás 15:56:37

Chocante: Menino de 6 anos conta como era espancado por agente prisional

A última sessão de espancamento foi na madrugada dessa quarta-feira

Uma criança de 6 anos, identificado pelas iniciais G.H.M.P., que foi espancado e torturado pelo padrasto, o agente penitenciário do SOE (Serviço de Operações Especiais) Edson Batista Alves, 35 anos, relatou na Delegacia Central de Flagrantes que apesar de toda a dor que sentia, tinha que aguentar as agressões sofridas.

O crime aconteceu numa casa do bairro Alvorada, em Cuiabá.

A última sessão de espancamento foi na madrugada dessa quarta-feira (20), quando a mãe do menino estava sendo espancada pelo marido e o acusado percebeu que G.H. estava acordado, momento em que partiu para cima da criança.

O garoto apanhou tanto que caiu desacordado, foi levado ao hospital, onde constataram que um dos braços estava quebrado, devido ao espancamento.

Numa surra anterior, na mesma semana, o padrasto deixou o menino com um ferimento no olho direito e ao perceber o hematoma, o agente tentou limpar com água quente para diminuir as marcas, mas com isso deixou respingar pela barriga do menor que sofreu queimaduras e têm as marcas espalhadas pelo abdômen.

O menor, que chegou à delegacia com o braço quebrado, queimaduras na barriga e o olho direito ferido, contou, e ainda mostrou com gestos, a forma como Edson o espancava. Mostrou como o agressor prendia seus braços e dava joelhadas em sua barriga.

Tentando ser forte, G.H. explicou que mesmo sendo ferido e com muita dor, sabia que tinha que aguentar aquela situação.

“Ele me batia com a mão assim [mostrou com gestos], ele me chutava, prendia meu braço e jogava o joelho na minha barriga. Tive que aguentar”, relatou a vítima de apenas 6 anos.

O servidor dizia à mulher que o filho dela era “viado” porque foi criado pela avó e era imprestável.

G.H. e a mãe, C.M.V., 31 anos, vivem com o agente há apenas duas semanas, quando a mulher saiu de Rondonópolis (212 km da Capital) para viver com Edson em Cuiabá.

Segundo o boletim de ocorrência, C.M.V. relatou que a partir da segunda semana convivendo, o marido começou com as agressões, ameaças contra ela e o filho. Ela era proibida de sair, a mantinha em cárcere privado dentro da própria casa.

Segundo a vítima, que também era espancada com uso de cabos de energia, socos e chutes e também tem marcas das agressões pelo corpo, Edson dizia que se tentasse fugir, mataria ela o filho.

A vítima só conseguiu escapar, nesta madrugada, após eles voltarem de um jantar na casa de uns amigos do servidor. C.M. aproveitou um minuto de distração do agressor, conseguiu chamar um transporte de aplicativo e chegou por volta das 02h na delegacia.

O acusado foi preso, após a vítima denunciar as agressões e ameaças, nas imediações da Central de Flagrantes quando os policiais identificaram o carro do agressor rondando a delegacia, provavelmente tentando recapturar a mulher e o enteado.

Edson já tem seis passagens pela polícia, sendo três por violência doméstica e ainda usa tornozeleira eletrônica.

O Agente está detido na Central de Flagrantes aguardando audiência de custódia, quando o juiz vai decidir se o acusado vai responder às acusações preso ou em liberdade.

Por: Reporter MT