oral sin
Especial | VARIEDADES

14 de Março de 2020 ás 07:29:00

Chuvas fortes voltam a alagar ruas, avenidas e danificam veículos em Sinop

A praça Plínio Callegaro, localizada na região central, também ficou completamente alagada

(Foto: Divulgação)

As fortes chuvas que caíram, na tarde de ontem (13), em Sinop deixaram algumas ruas e avenidas completamente alagadas em parte do centro da cidade. Uma das mais críticas foi a das Embaúbas, entre as avenidas das Itaúbas e dos Ingás onde houve grande concentração de água. Pelo menos quatro carros que tentaram passar pelo trecho tiveram problemas na parte elétrica e ficaram parados.

Um GM Ônix branco acabou ‘rodando’ com a força da água. Um Match vermelho também teve pane. O proprietário de Troller preto usado para competições em rally ajudou a rebocar uma caminhonete VW Amarok cinza, que teve problemas. Bem próximo, na rua das Hortências esquina com Embaúbas, um Ford KA também teve pane.

Em todo o ‘quarteirão’ próximo à prefeitura em um trecho entre a rua das Azaleias e avenida das Itaúbas a água cobriu totalmente o asfalto. Para tentar “fugir” da água, uma mulher que esperava pelo ônibus do transporte coletivo subiu no banco do ponto.

A praça Plínio Callegaro, localizada na região central, também ficou completamente alagada, assim como boa parte da avenida Júlio Campos, por onde trafegam centenas de motoristas diariamente. O trânsito ficou lento nestas vias.

Nas proximidades da Catedral Sagrado Coração, a rotatória ficou parcialmente coberta. Neste trecho, cinco motocicletas tiveram problemas elétricos. Outro ponto crítico com alagamento foi na rua das Aroeiras com a mesma avenida, onde a água tomou conta da pista e subiu na calçada. Os motoristas enfrentaram grandes dificuldades para trafegar.

Já no cruzamento com a Itaúbas, os motociclistas se arriscaram para fazer a travessia. O volume de água foi alto além de formar ‘correnteza’, dificultando também o tráfego para pedestres. O valetão da avenida dos Ingás encheu completamente.

As bocas de lobo e tubulação não suportaram o volume de água.  O volume de água começou a diminuir mais de uma hora depois da chuva parar.

Outro lado
Em nota, a prefeitura informou que a Guarda Civil Municipal deu apoio no controle do trânsito e recuperação de placas que se desprenderam dos veículos, na avenida das Embaúbas. Nas regiões distantes da área central, a Guarda Civil deu suporte aos motoristas que trafegavam pela região do córrego Nilza, uma vez que transbordou.

A secretaria de Obras também já tomou conhecimento de pontos de alagamento e solicitações para limpeza de bueiros e bocas de lobo e manutenção das vias. Para este ano, os recursos e projetos em andamento pela administração referem-se às obras de asfalto em bairros, que ainda não contam com essa infraestrutura. Na região central, ainda não há previsão de obras estruturantes para aumento da capacidade de vazão de água.

Por: Só Noticias