oral sin
Notícias | Colíder

12 de Janeiro de 2018 ás 12:59:00

Vereador Zé Moreira destaca iniciativas da Câmara para a segurança pública de Colíder

(Foto: Divulgação)

Durante entrevista ao programa Alta Temperatura, da Rádio Líder FM, o vereador Zé Moreira (PSD) conversou com a apresentadora Rosely Pereira sobre vários temas relacionados à segurança pública em Colíder.

Zé Moreira pontuou ações que estão sendo desenvolvidas no município a partir de iniciativas dos vereadores e da Câmara de Colíder. O vereador também respondeu perguntas realizadas pelos ouvintes.

O menor infrator recebeu grande destaque durante o programa. Para amenizar os crimes cometidos por adolescentes, Zé Moreira citou como iniciativa importante a viabilização do programa Menor Aprendiz em 2018 e que garantirá o acesso de jovens ao mercado de trabalho.

Acompanhe, a seguir, as questões mais importantes abordadas por Zé Moreira durante a entrevista.

Roseli - Rádio Líder FM: Vereador Zé Moreira, como o senhor avalia esta onda de violência que está acontecendo em nossa cidade?

Zé Moreira – Não é fácil a gente fazer análise rápida da situação porque segurança pública é de uma complexidade muito grande. Envolve os três poderes. Você tem a esfera nacional que pode, e deve, contribuir muito. Tem a esfera estadual, que é diretamente responsável pela garantia da segurança pública [nos municípios]. E a população tem noção daquilo que está sendo feito e daquilo que deveria e não está acontecendo. Mas eu diria que a gente acompanha, e os vereadores não tem se calado. A gente tem tentado buscar alternativas. No entanto, a gente não está vendo resultados. Nós estamos vivendo um momento bastante violento em Colíder. Mas a gente, assistindo os noticiários nacionais e estaduais, percebe que a situação é generalizada em todos os estados. Mas nós devemos focar em nossa cidade e ver como podemos contribuir, porque está insustentável. A violência aumentou muito nos últimos anos com o aumento do aglomerado urbano. Hoje, 80 por cento da população está nas cidades. E a violência é uma das consequências. Mas as causas são várias. É a exclusão, é a destruição da família... Nós não temos um delegado exclusivo para o município. Ele cuida de Colíder e de Nova Canaã do Norte. A Polícia Militar tem dia onde só tem uma viatura na rua com três policiais para cuidar de cerca de 32 mil pessoas. E, agora, aumentou a violência na zona rural. A polícia precisa de uma patrulha rural. Mas como ela dá conta de patrulhar a cidade e toda a zona rural com apenas uma viatura? O correto seria, pelo menos, três viaturas. Nós, enquanto poder público, estamos cobrando dos deputados, do governador, mas não é suficiente. Não está resolvendo. Mas a gente não pode desistir.

Roseli - Rádio Líder FM: E o que já tem sido feito nessa questão da segurança pública?

Zé Moreira – É importante que eu, como vereador e, também, líder do prefeito na Câmara, falar da administração também. Enquanto vereadores, nós já fomos várias vezes à Cuiabá. Falamos com o secretário de Segurança cobrando melhorias na segurança pública. Protocolamos documentos e foi enviado a Colíder o grupo da Força Tática, que ficou aqui dois dias e foi embora. Então, apazígua uma semana, mas depois volta tudo de novo. A Câmara convocou duas audiências públicas em 2017, uma para discutir, inclusive, a questão na zona rural. Foram convidadas todas as forças de segurança e a população para debater e cobrar investimentos em segurança pública aqui em Colíder. Então, nós vereadores temos feito isso. Por exemplo, agora a Polícia Militar está com um problema estrutural sério. O prédio que abriga o quartel não oferece as condições necessárias. Nós intermediamos uma audiência com o prefeito e, através do Conselho Municipal de Segurança, através do GGI, e a gente está viabilizando um apoio da prefeitura para a Polícia Militar. Os vereadores têm cobrado. Na parte do poder executivo, foi reativado o Conselho Comunitário de Segurança Pública, o Conseg, que estava desativado e que hoje é presidido pelo Claudinê Tosta. Foi criado, também, em Colíder o GGI, que é o Gabinete de Gestão Integrada, que reúne o Executivo, o Legislativo, o Ministério Público, o Judiciário, o Conselho de Segurança, a PM, a Polícia Civil, os Bombeiros... É um grupo que se reúne quinzenalmente e a pauta é exclusiva para Segurança Pública. Trata também de ações públicas do município para promover a inserção social, como as escolinhas de futebol. Há poucos meses, a gente conseguiu trazer a Colíder praticamente toda a cúpula de segurança de Mato Grosso. Então, a Câmara e a prefeitura têm feito ações importantes. E na vinda do governador Pedro Taques, em junho, nós pautamos isso com ele. Inclusive, sobre a questão das vagas para internação de menores infratores. Simplesmente, o governador disse que não tinha dinheiro e que não poderia atender, pois a sua prioridade era a saúde.

Roseli - Rádio Líder FM: Um ouvinte pergunta se não está na hora de promover investimentos em sistema de monitoramento por câmeras?

Zé Moreira – Isso foi debatido em 2017. Veio uma empresa do setor a Colíder, fez uma audiência pública para debater sobre o assunto. Tem o projeto. Mas nós não temos ainda o financiamento desse projeto. Há uma iniciativa do próprio GGI, do Conselho Municipal de Segurança e da Prefeitura para implantar, sim, esse monitoramento, que ajuda muito as cidades onde o sistema existe. E, sem dúvida, essa é uma ação que precisa acontecer em Colíder o mais rápido possível.

Roseli - Rádio Líder FM: Uma ouvinte questiona sobre o menor de idade, que não pode trabalhar...

Zé Moreira – O menor de idade pode trabalhar, sim. Nós temos legislações específicas para isso. Claro, há toda uma necessidade de condições para que esse menor estude num período e trabalhe em outro. Hoje, nós temos vários programas para isso. Temos o Senac e Senai, que preparam o adolescente para o mercado de trabalho. Inclusive, tem legislação que obriga as grandes empresas a empregarem menores.

Roseli - Rádio Líder FM: Investir em ensino ajuda a reduzir a violência?

Zé Moreira – Eu não tenho dúvida disso. Todo tipo de mudança [para melhor] precisa de Educação. Nós temos vários países que tem feito isso com sucesso. Principalmente, a educação integral, onde o jovem pode estudar e se preparar para uma profissão. A Prefeitura de Colíder, via Secretaria de Assistência Social, acaba de fechar um acordo de uma parceria com a Acic, onde vamos oferecer, ao longo de 2018, 100 vagas para jovens aprendizes e prepara-los para o mercado de trabalho. Nesta primeira etapa, estão sendo oferecidas 28 vagas. Também lembrar que essa questão do menor aprendiz também é uma iniciativa da Câmara de Colíder. Eu apresentei uma indicação no início do ano [2017] e, graças a Deus, a partir de 2018 o poder público está oportunizando essas oportunidades ao mercado de trabalho aos nossos jovens em situação de vulnerabilidade social.

Roseli - Rádio Líder FM: Qual o papel da Câmara nas questões municipais?

Zé Moreira – O que a gente pode assegurar é que a gente não foge dos debates. A Câmara Municipal convocou em 2017 audiências públicas para ouvir a sociedade para propor ações e encaminhamentos. Mas isso vai surgir a partir de momentos coletivos. Precisamos, realmente, ocupar o menor, e isso está sendo feito nessa parceria da prefeitura com a Acic. É o esporte, levar o lazer para as crianças, é melhorar as condições da educação... Temos aí a Escola Paes de Barros oferecendo aproximadamente trezentas vagas para a educação integral. É algo inédito no município. Os 13 vereadores também desenvolvem outras ações fundamentais, como cobrar as autoridades estaduais, principalmente. Cada eleitor de Colíder tem o seu deputado. E as entidades também tem um papel importante. A mídia, que é o quarto poder, tem condições de contribuir bastante nesse debate. Está ajudando a esclarecer as pessoas e oportunizando que as pessoas falem. Então, é importante a gente ter essa unidade aqui no município para cobrar dos nossos representantes os investimentos necessários.

Roseli - Rádio Líder FM: Um ouvinte pergunta se já existe em Colíder uma iniciativa para construir um espaço para abrigar esses menores infratores.

Zé Moreira – Existe sim. Há uma indicação lá na Câmara para o poder executivo e para o Governo do Estado. No mês de julho, quando o governador Pedro Taques esteve aqui, em Colíder, foi abordado esse assunto. A ideia da Câmara é que se construísse aqui em Colíder um centro de internação para menores que atendesse toda a região. E o município não pode fazer isso. A legislação não permite. Essa é uma ação restrita ao Estado. Mas o município pode ser parceiro. Não é só construir. Você precisa contratar todo um pessoal, assistente social, profissionais da saúde, educadores para você oferecer formação a esses menores internados. Então, existe, sim, iniciativa da Câmara. A gente cobrou o governador, mas até o momento a gente não teve retorno disso. Mas é necessário. Não dá para você contar com vagas em Cuiabá ou Lucas do Rio Verde. Colíder já suportaria um espaço para menores para atender toda a região. É algo que é prioridade na segurança pública, sem dúvida nenhuma.

Roseli - Rádio Líder FM: O Brasil está investindo em colégios militares. Inclusive, Sorriso e Alta Floresta terão os seus. Colíder também poderia investir nesse tipo de ensino?

Zé Moreira – Com certeza. Alta Floresta vai receber um colégio militar. Eu acho uma educação importante. Digo isso porque tenho dois filhos militares. Com certeza, ajuda. São ações que contribuem para disciplinar, para formar os nossos jovens. O colégio militar seria bem-vindo aqui em Colíder.

Roseli - Rádio Líder FM: Com relação à violência no trânsito, o que o município está fazendo para reduzir os índices?

Zé Moreira – O trânsito também faz parte da segurança pública. Sou autor de dois projetos de lei, que já estão em vigor no município. Um destaca a educação no trânsito. A partir desse ano eu acredito que o município vai colocar em prática esse programa de educação para o trânsito. Eu sei que tem que ter fiscalização, tem que ter multa para o infrator, mas também que ter educação no trânsito. É necessário fazer esse trabalho. Outra lei muito importante de minha autoria é o Estatuto do Pedestre. Poucas cidades no Brasil tem o Estatuto do Pedestre. São iniciativas que precisam ser adotadas para que, realmente, a segurança aconteça em nossas ruas e avenidas.

Fonte: Assessoria

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!

Todos os campos deve ser preenchidos
comentários
Sem comentários