oral sin
Notícias | Coronavírus

08 de Maio de 2020 ás 13:25:07

Após disparada de casos na última semana, MT já admite adotar fechamento total ´Lockdown´

O secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, não descartou, durante live nas redes sociais nesta sexta-feira (08), a possibilidade do Estado adotar o sistema “lockdown” com medidas mais rígidas de isolamento social das que foram adotadas até agora.

Segundo ele,  o quesito entra na “rota de fuga” do Estado se os casos de Covid-19 permanecerem subindo em Mato Grosso. “Seria uma negligência de qualquer gestor não pensar nisso. Temos uma interrogação. Vamos chegar num momento que vamos perder da nossa capacidade hospitalar? Um colapso do sistema onde nós não vamos mais conseguir atender as pessoas nos nossas Unidades de Terapias Intensivas? Essa pergunta existe e nós temos a obrigação de pensar nisso em que pese que nós torcemos para que isso não aconteça”, colocou.

O "lockdown coronavírus" consiste medidas mais restritivas de tráfego e circulação de pessoas como forma de conter o avanço do novo coronavírus e já foi adotado em Fortaleza (CE), São Luiz (MA) e Belém (PA). A estratégia impede a saída de pessoas para qualquer espaço público, com exceção para os serviços que são extremamente essenciais. 

O modelo restritivo tem sido sugerido por especialistas e analisado pelo poder público em outras cidades do país, como Rio de Janeiro (RJ), onde o sistema público de saúde está perto do colapso com o aumento de números de casos. De acordo com o relatório oficial da Secretária de Estado e Saúde, na quarta-feira (06), Mato Grosso tinha 385 casos confirmados de Covid-19, já na quinta-feira (07) foram registrados 420 testes positivos da doença, um salto de 35 novas confirmações da doença em 24h e um total de 14 óbitos.

Porém, o Estado ainda tem mais de 90 leitos de UTI "vagos" e deve inaugurar nos próximos dias um anexo no Hospital Metropolitano de Várzea Grande que, num primeiro momento, será destinado para atender apenas casos do novo coronavírus. Diante dos índices, que aumentam consideravelmente a cada dia, Figueiredo declarou que com o cenário incerto, sem expectativas para o pico da doença, o Estado pode aderir a tática se a tendência de confirmações continuarem ampliando. “Então, existe sim. O Governo do Estado tem um comitê de situação que vai se reunir agora nas terças-feiras, sempre analisando o comportamento da pandemia no Estado de Mato Grosso e a luz dessas informações vai tomar decisões”, finalizou.

REPASSE DE R$ 1 BILHÃO

No fim da transmissão, Gilberto adiantou ainda que participará, nesta sexta-feira, de uma reunião com representantes dos Hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein de São Paulo para tratar de um repasse de R$ 1 bilhão que serão efetivados pelo banco Itaú através do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). O auxilio será investido no combate da pandemia. “Eu como representante do Centro-Oeste fiz a adesão a esse projeto e nós temos agora temos aqui em Cuiabá uma reunião com representantes desse projeto para saber quais são nossas prioridades e no que nós poderemos ser atendidos”, concluiu. 

Fonte: Folha Max

O Portal não se responsabiliza pelos comentários aqui postados!

Todos os campos deve ser preenchidos
comentários
Sem comentários