Excesso de chuvas obriga produtores de Lucas do Rio Verde a antecipar colheita de soja

Segundo o presidente do Sindicato Rural, o município já chegou a 60 dias de chuvas ininterruptas nas lavouras.

Foto por: Divulgação

Agronegócio

02/01/2022 às 07:14

A exemplo de Campo Novo do Parecis e Sapezal, os produtores rurais de Lucas do Rio Verde também começaram a colher a safra de soja antes do final do ano. No entanto, a antecipação não depende apenas da precocidade da variedade plantada, mas é causada pelo excesso de chuvas na região, que tem deixado as lavouras extremamente úmidas, provocando o apodrecimento dos grãos ainda no pé.

Em entrevista concedida ao site Notícias Agrícolas, o presidente do Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde, Antônio Isaac Fraga Lira, falou sobre o problema. De acordo com ele, o município já chegou a 60 dias de chuvas ininterruptas nas lavouras “... e a soja precisa de muita luminosidade, precisa de sol e longos períodos de tempo nublado pode causar alguns problemas. Isso já nos faz detectar vários problemas no que diz respeito à sanidade da soja, como o problema de tombamento, que é quando a soja, antes mesmo de ficar madura, acaba quebrando no caule, além do apodrecimento dos grãos ainda dentro da vagem (...) a gente ainda não calculou o tamanho do estrago, mas já estamos nos precavendo”.

Ainda segundo a matéria, a expectativa inicial de produtividade média, que era de 62 sacas por hectare durante o plantio, dificilmente será atingida para a colheita que deve ganhar ritmo na próxima semana e se estender até 15 de fevereiro. Caso a colheita consiga avançar dentro do previsto, a janela de plantio para a segunda safra de milho será a ideal para boas produtividades no município.

Fonte: José Boas, jornalista e editor do site A VOZ Mato-grossense


Fotos da notícias

Veja mais

DEIXA UM COMENTÁRIO Clique aqui

Teu email não será publicado.

Enviar comentário