Pai de menina de 2 anos assegura inocência de pastor: "Ele não encostou nela"

Polícia

12/02/2024 às 07:07

O pastor Osvaldo Aparecido Santiago, da Igreja Missionária Unida, não tinha a intenção de abusar da menina de 2 anos, que não teve a identidade divulgada. O caso começou a circular nas redes sociais neste sábado (10) e estampou diversos sites de notícias do estado devido ao registro da ocorrência, pela Polícia Militar, como importunação sexual.

Em vídeo compartilhado pelo advogado do líder religioso, Fellype da Silva Negrão, o pastor aparece ao lado do pai da menina que foi filmada caminhando ao lado do pastor em uma rua de Várzea Grande.

Segundo Ricieri Tizziani, identificado no vídeo como Henrique, pela manhã o cachorro da família fugiu e ele deixou a criança sozinha por um instante enquanto foi buscar o animal de estimação.

A menina teria ido atrás do pai, sozinha, quando foi encontrada pelo pastor que passou a acompanhá-la por estranhar que a menina estivesse perambulando sozinha.
 
“Não aconteceu nada com a minha filha, ele não encostou nela em nenhum momento. Não fez nada que prejudicasse ela”, assegurou o pai da menina.
Em seguida, o pastor conta que ia fazer uma visita quando estranhou a criança estar sozinha no meio de um cruzamento.

“Eu imaginei: deve ser (filha) de alguém aqui perto. Eu até tirei o meu capacete e fui perguntar qual a cor do portão, como é o nome do seu pai, porque se ela falasse o nome do pai e fosse alguém que eu já conhecesse ficaria mais fácil”, explicou.

A situação saiu de controle quando populares confundiram a ação do pastor com uma tentativa de importunar sexualmente a criança. A polícia chegou a ser acionada e o pastor ainda chegou a apanhar de pessoas que o cercaram na rua.

“Eu também tenho criança e a primeira coisa que vem quando a gente vê uma criança no meio da rua é uma preocupação de pai”, concluiu.

Fonte: Reporter MT


Fotos da notícias

Veja mais

DEIXA UM COMENTÁRIO Clique aqui

Teu email não será publicado.

O CAPTCHA abaixo oferece proteção contra entradas digitais remotas garantindo que somente um ser humano possa registrar manifestações. Clique na opção abaixo "Não sou um robô" para que seja feito o teste de segurança via áudio ou imagem

Enviar comentário