OPERAÇÃO GRÃO BRANCO

Pilotos ganham R$ 100 mil por voo com drogas para MT

Polícia

06/05/2021 às 13:17

As investigações da Operação Grão Branco, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (6) para desarticular quadrilha de tráfico internacional de drogas, apontam que os pilotos envolvidos no esquema recebiam cerca de R$ 100 mil por voo. Cada carga transportada, em sua maioria de cocaína, é avaliada em cerca de R$ 8 milhões.

Os voos eram feitos de forma “baixa” para não serem pegos pelo radar e não gerar suspeitas das forças policiais. Em alguns casos, os pilotosos chegavam a comunicar os aeroportos principais no momento que estariam trafegando para o interior do Estado.

Porém, depois as aeronaves desapareciam e eram localizadas somente após retornarem para São Paulo. Os pilotos eram convidados para fazer o transporte da carga e recebiam cerca de R$ 100 mil ou mais por trajeto.

O transporte era feito em um único dia com duração de aproximadamente três horas. “Muitas vezes eles arremetiam ou tentavam arremeter mais de uma carga por dia. Então o valor era muito alto. A movimentação era muito alta. Obviamente esse valor chegando em São Paulo aumenta muito. São Paulo é o principal mercado e o caminho para essa droga ir para a Europa”, afirmou o delegado Adair Gregório, responsável pelo início das investigações da Operação Grão Branco. 

 

Além dos pilotos, segundo a Polícia Federal, as pessoas que trabalhavam nas pistas clandestinas também recebiam valores altos para colaborar com os crimes. Durante cumprimento dos mandados, policiais apreenderam carros de luxo numa casa de alto padrão em Várzea Grande.

Jóias e relógios também foram apreendidos pelos policiais federais. Cerca de R$ 70 mil em dinheiro vivo também foram confiscados.

Além de aeronaves, os traficantes usavam caminhões de soja e milho para o tráfico. No entanto, a PF ainda não confirma se há ou não a participação de grandes fazendeiros.

A OPERAÇÃO

As investigações tiveram início em janeiro de 2019, quando a Polícia Federal e o Grupo Especial de Fronteira – Gefron de Mato Grosso, apreenderam 495 quilos de cocaína no município de Nova Lacerda. No curso da operação, foram realizados mais de 10 flagrantes com apreensão de aproximadamente 4 toneladas de cocaína, aeronaves e veículos utilizados no transporte e a prisão de mais de 20 pessoas envolvidas com o crime.

Em 2020, por meio da cooperação internacional com a Polícia Boliviana (Cerian - Centro Regional de Inteligência Antinarcóticos), o líder foi expulso do país e entregue as autoridades brasileiras, iniciando o cumprimento da pena do crime. Seus familiares e outros integrantes da organização criminosa continuaram a comandar a logística de transporte da droga.

Em razão da complexidade da operação, além da atuação da Polícia Federal, foi necessário o apoio da Força Aérea Brasileira, Gefron/MT, PRF, PC/MT, PM/MT, PM/MS e PM/SP.

A investigação observa as diretrizes da Polícia Federal no enfrentamento ao tráfico de drogas, que consistem na descapitalização das organizações criminosas, prisão de lideranças e cooperação internacional.VEJA 

O nome da Operação “Grão Branco” deve-se ao transporte de grãos (soja, milho) do Estado de Mato Grosso para São Paulo para justificar as viagens das carretas que transportavam a cocaína.

Fonte: Folha Max


Fotos da notícias

Veja mais

DEIXA UM COMENTÁRIO Clique aqui

Teu email não será publicado.

Enviar comentário